Sobre uma verdadeira chuva de bombas de gás lacrimogêneo, Ricardo Patah, presidente nacional da União Geral dos Trabalhadores (UGT) discursou na Esplanada dos Ministérios, em Brasília, DF. O líder ugetista ressaltou que este é o momento de resistir as investidas que os parlamentares estão fazendo contra a classe trabalhadora. Patah criticou a ação policial que us...
O dia 24 de maio já entrou para a história do Brasil como a maior marcha da classe trabalhadora contra que Brasília já teve. O ato que reúne neste momento, aproximadamente 50 mil pessoas foi organizado pela União Geral dos Trabalhadores (UGT) em conjunto com todas as centrais sindicais. Tendo como foco mostrar para os parlamentares que as reformas propostas pelo Governo federal não têm apoio popular e são extremamente danosa para a sociedade, a marcha conta com o apoio de trabalhadores e trabalhadoras de todo o Brasil que viajaram horas e até dias para reivindicar contra atent...
A gravidade da crise política e ética que assola o Brasil requer providências radicais e não pela metade, pois a crise de confiança é do tamanho daquela que consome a política brasileira. A denúncia envolvendo o presidente da república em esquema de compra de silêncio sobre ações escusas completa o quadro negro de imoralidades que a Justiça, especialmente a Operação Lava Jato, vem apontando para brasileiros cada vez mais atônitos com tanta corrupção. Diante do filme de terror que virou a política no...


UGT vai ao plenário do Senado e comissões para debater a Reforma Trabalhista
O presidente da União Geral dos Trabalhadores (UGT) Ricardo Patah,secretário de organização Sindical Chiquinho Pereira , Secrtário de Relações Institucionias MiguelSalaberry Filho e o Presidente da UGT/PR Paulo Rossi, participaram nessa terça-feira (16/05) no Senado Federal, no Plenário, da segunda sessão temática que discute a proposta de Reforma Trabalhista. Pela manhã o ministro do Trabalho Ronaldo Nogueira fez a defesas da proposta – que já foi aprovada na Câmara. Na mesa do Senado, os dirigentes das Centrais Sindicais e da Associação dos Procuradores do Trabalho, contestam a proposta do Governo. Ricardo ...

Agindo como Eduardo Cunha, Maia pressiona para trocar ministro do Trabalho
Nem a gravidade da crise política é capaz de demover políticos da cúpula de agir inadvertidamente. Ignorando o que acontece no país, com ação positiva da Operação Lava Jato, que apura a corrupção entre governos e empresas privadas, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), pressiona o Palácio do Planalto para indicar afilhado dele para o Ministério do Trabalho, em lugar do deputado licenciado Ronaldo Nogueira (PTB-RS), atual titular da pasta. O motivo da investida de Maia é a postura do ministro em matérias de âmbito social, como o fim do imposto sindical e o projeto que regulamentou a terceirização irrestrita...